Arquivo da tag: cachorros

A volta da faxineira

Decidimos que a rotina de casa estava muito pesada e votamos pela volta da faxineira. Já fazia um ano e meio que estávamos sem ninguém e a chegada de mais um cachorro (que veio por doação, ou seja, aprontou todas em outras casas, já que cachorro educado ninguém doa!) complicou a rotina.

Decidimos pela esposa de um conhecido, para eliminar a questão da desconfiança. Uma vez por semana, apenas. No primeiro mês já foram dois itens quebrados, um deles caríssimo… sem contar que ela esqueceu o gato trancado no meu quarto e ele mijou toda minha cama. Não é fácil lidar com empregados domésticos, com certeza, mas eu tive que colocar na balança os prós e contras. Estávamos todos cansados. Venho ajustando as coisas com ela desde então e não aconteceu mais nada de grave.

Ainda morro de medo do manuseio de itens caros. Cheguei em casa de viagem e encontrei o tapete persa no quarto da minha filha, aquele local que recebe adolescentes com bala, pipoca e refrigerante! Não a culpo de não saber o que significa aquele item, só não entendo porque ele foi trocado de lugar sem me perguntar…

Bom, entre mortos e feridos, estamos indo bem. Mas eu evito áreas de atrito. Nada de porcelana ou cristal. Não deixo para ela lavar nenhum desses itens, pois percebi, da pior forma possível, que ela tem mão pesada. Mas isto tem uma vantagem: ela lava banheiros muito melhor que eu!

10 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Minha ex-faxineira

Agora no mês de março comemoro um ano sem empregada. O aniversário veio numa data difícil, pois estou abarrotada de trabalho e tenho dado pouca atenção às tarefas do lar.

Acordei hoje e dei de cara com o cachorro pequeno lá de casa dormindo embolado nas cobertas da Vavá. E roncando igual a um porco! Não sei como ela consegue dormir com o barulho que ele faz. Pior: o cachorro estava cheio de lama. Resultado: quando chegar hoje em casa terei que trocar as cobertas do colchão dela…

Dispensei a faxineira lá de casa. Decidi que não vou aguentar coisas que me incomodam e ela conseguiu chegar no meu limite mais rápido do que eu esperava. Tudo começou no feriado de Carnaval. Na Quarta-Feira de Cinzas era dia dela fazer a faxina no meu escritório. Como eu estava viajando e não teria expediente lá, pedi para o motorista ficar com a chave, esperando ela chegar. Não chegou. E também não deu a menor satisfação.

Na semana seguinte, o motorista foi perguntar o que aconteceu e recebeu uma saraivada de ignorâncias. Ela chamou ele de burro para baixo, por não ter combinado com ela. Ou seja, a patroa é ela. O motorista só respondeu que cumpria ordens minhas e não dela.

Bom, na semana seguinte, o motorista ficou nos ajudando a distribuir ovos de páscoa de um cliente do escritório, o que fez com que ele chegasse mais tarde lá em casa para buscá-la. Deixa eu explicar melhor. Moro num lugar que não tem ônibus, van ou carroça. Então, ou o trabalhador anda 40 minutos até o ponto mais próximo (a maioria faz isto), ou tem um patrão como eu, que fornece motorista para levar e buscar.

Voltando ao entrevero. Ele chegou tarde para buscá-la. Foi um fusuê. A mulher deu um ataque de pelanca e deixou um bilhete pra mim dizendo que aquele horário não dava pra ela. Como eu já estava de saco cheio mesmo, disse que tinha visto o bilhete e que não havia problema, pois eu já tinha arrumado outra faxineira lá pra casa (mentira, era só pra ela não querer voltar atrás). Saiu calada neste dia.

Ontem, no meio da manhã, recebo um telefonema dela dizendo que “nossa amizade” não era de agora, e que eu podia flexibilizar o motorista, mandando buscar ela mais cedo. Eu expliquei que o que tinha acontecido não foi de propósito e que eu não podia garantir que não fosse acontecer novamente, pois dependo dos meus clientes para pagar os salários de todos, além de minhas contas.

O pior mesmo foi quando eu expliquei que a demora tinha sido por conta da distribuição dos ovos de páscoa. Ela retrucou perguntando se não podia deixar para entregar outro dia. Eu expliquei que a agenda de senadores, deputados e do presidente da república (algumas das autoridades que receberam os ovos naquele dia) não estava condicionada a agenda dela. Mas ela não se fez de rogada, continuou argumentando que não era possível que eu tivesse compromissos demorados no dia da faxina dela. Expliquei que tenho compromissos demorados TODOS os dias! E finalizei aquela conversa absurda dizendo que o problema é que ela achava que o mundo girava em torno dela.

Agora eu começo uma nova etapa, a busca por uma nova faxineira…

42 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Dia da Empregada Doméstica

Descobri que dia 27 de abril é o Dia da Empregada Doméstica!
Pensei nas várias formas que posso comemorar este dia: ligando para todas as minhas ex-empregadas e agradecendo o quanto a presença delas na minha vida me fez amadurecer a decisão de não ter mais empregadas. Fazendo uma enquete para saber se alguma delas conseguiu arrumar uma chefe tão legal e tão babaca como eu (e ouvir o arrependimento do que fizeram comigo).

Entrei no Google e digitei o assunto “sem empregada” para saber se meu blog aparecia (ego é f…) e lá estava ele, na primeira página! Alguns outros blogs me chamaram a atenção. A coisa mais curiosa é que todos eles se referiam a pessoas dizendo que não vivem sem empregada. Apenas um (“vida de solteiro sem empregada”) cogitava a possibilidade de ter a vida que eu estou levando. Gente, quero deixar claro aqui, minha vida está MUITO melhor agora, minha casa está SUPER organizada. Eu fiz um bolo na segunda-feira passada e ele durou seis dias, isto é um milagre! Antes, não durava 24 horas!!

Neste final de semana recebi a equipe especializada em limpeza, para fazer a faxina geral. A casa ficou, literalmente, de cabeça para baixo. Vi os fundos de sofás, mesas, cadeiras, camas etc. Mas não é moleza total. Eu tive que dizer tudo que eu queria que os dois fizessem. No meu quarto, acho que minha cama, que é um caixote de madeira, nunca foi tirada do lugar… morri de vergonha da lixarada que estava embaixo dela. Começamos às 8h30, pela piscina, e terminamos às 18h, na sala.

Hoje tive a notícia de que minha sogra virá morar em Brasília no final do ano. Ela já falou isto algumas vezes, mas sempre dá pra trás na hora H, com o argumento de que não daria certo, por minha causa… mesmo que ela não venha, novamente, sei que este dia está perto, pois ela só tem o Jorge e está ficando muito velha pra ficar só. Como meu marido conhece o temperamento dela, já acertou que ela não mora conosco de jeito nenhum. Vai alugar um apartamento na Asa Norte, para onde a maior parte da nossa vida se transportou, desde o fim da empregada. Na Asa Norte estão o colégio das meninas, a academia de ginástica da família, o Kumon e o inglês da Tita, o Pão de Açúcar, a costureira, o sapateiro, os restaurantes onde almoçamos, enfim, tudo, exceto ver televisão e dormir! hahaha!

8 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Desisti de ter empregada!

Depois de um ano e meio entrando e saindo de hospital com uma empregada que, aos 20 anos de idade, tinha 20 de pressão e um coágulo no cérebro, desisti de ter empregada em casa…

Meu marido já tinha levantado esta idéia, mas você sabe como é a “rainha do lar”, nunca imagina que o homem da casa está pensando em ajudar a esposa quando fala isto!

Ontem, decidi tentar descobrir de onde vinha aquele cheiro de cachorro que a sala exalava. Pra quem não sabe, sou voluntária do projeto cão-guia de cego e recebo, periodicamente, filhotes do projeto, que ficam na minha casa por um ano. A diferença deste animal para os outros 3 cachorros fixos da casa é que o cão-guia tem de ter acesso livre a todas as dependências. Ou seja, se der mole, ele faz xixi nos lugares mais inóspitos. E foi isto que encontrei ontem… uma poça de xixi, seco há pelo menos 10 dias, atrás do piano!!! Foi quando tomei a grande decisão: NÃO QUERO MAIS SABER DE EMPREGADA!

A família apoiou de cara, estava todo mundo de saco cheio de levar a antiga empregada para o hospital e ficar em casa fazendo o serviço dela, e pagando por isto…O primeiro dia é sempre traumático, mas confesso que com a ajuda da Tita ficou mais fácil. O Jorge também colaborou limpando tudo que sujou e arrumando a cama. Isto eu sei que foi difícil, pois ele não vê utilidade em se arrumar camas, mas como ele sabe que isto é MUITO importante pra mim, fez! Vocês não fazem idéia do quanto eu fiquei feliz com isto.

Mas o maior dos problemas não é este… administrar as crianças durante os horários em que elas não estão no colégio é que vai ser a grande ginástica desta mudança radical. Chamo de radical pois em um determinado momento da minha vida, entre 2000 e 2005, eu tinha empregada full time, com uma rendendo a outra, ou seja, não ficava nem um minuto sem ninguém.

Lotação da minha casa: 1 adolescente de 13 anos, 1 criança de 8, 1 marido, 3 cachorros fixos, 1 cão-guia, 1 gato, 1 passarinho, 2 galinhas, 1 motorista

O motorista é um capítulo a parte… comecei a achar que meus cachorros estavam ficando muito gordos e descobri que o motorista estava dando pra eles o equivalente ao que ele come, cerca de 1 quilo de comida! Conversei com o veterinário e só para vocês terem uma idéia, o maior tinha que estar comendo 600 gramas e o do meio 350 gramas. Não preciso nem dizer o quanto este do meio esta parrudo…

21 Comentários

Arquivado em Uncategorized